14 de julho de 2015

Do tal ócio criativo

Tem quem não entende e até se incomoda com os momentos de ócio alheio e não se furta a dar o nome de tédio, não considerando a partir desse julgamento as serventias do ócio. 
Defendido e necessário em particular por escritores, pintores, desenhistas, músicos, momentos e até períodos ociosos são um terreno fértil. Eu, embora ninguém tenha me perguntado, penso que a prática arada do ócio é adubo para qualquer profissão ou pessoa. Desde para uma criança, que a cada dia mais se enchem de atividades e interação virtual intensa até idosod que reclamam de não fazer nada, ao invés de aproveitarem para ouvir o silêncio, as possibilidades, considerando as limitações, para criar e preencher o tal nada.
Dia desses dei a meu sobrinho pequeno um boneco que estava todo vestido e ele resolveu tirar a roupa, parei ao lado dele e fiquei observando ele com zero habilidade para a atividade, esperando ele terminar ou desistir e ai a outra tia, de súbito interrompeu meu ócio e a ação tipo ócio dele. Tira para o menino! Ela disse e eu respondi: Eu não, ele parado ai com isso é bom para ele e para mim (pois movimento continuo é sinônimo dele).
E assim fiz com meu filho quando pequeno e faço com crianças sob meus cuidados ou na minha companhia. Pinto e bordo e também conduzo a calmarias e contemplo quando param olhando para o nada ou com algo bobo e lá deixo, sem mil perguntas, sem interferir no momento ócio.
Acho e lamento que de tanto se ocuparem, as pessoas param de processar as coisas, de observar detalhes, dar respiros, fazer links, viver inutilidades que treinam a coordenação motora, a paciência, s gentileza, a educação, sem que se perceba, que treinam o olhar, o olfato, a audição, que permitem criar, renovar, mudar, manter.
Ócio não é coisa de desocupado como mentes julgadoras e aceleradas disparam. Fazendo paralelos que comuniquem com diferentes estilos de vida e gostos, é legal andar de jet, mas tem prazeres diferentes em andar de barco a vela, sair para pescar, é tudo no mar, mas cada um com seu proveito. Nas músicas, há palavras e as vezes só o som, as vezes pausa total para entrar um novo arranjo, nessas pausas se constroem em nossa mente sensações. É legal andar de bicicleta correndo, mas é legal também pedalar devagar, batendo papo, olhando a paisagem. É bom malhar, mas aquele cair na cama após o banho é um momento produtivo também. Das pausas se fazem muitas reticências #ficaadica.

10 comentários:

  1. Adorei seu texto, pois sou adepta das gotas de ócio espargidas ao longo do dia. Gosto de ir lá para fora e, sentando com meu cachorro no colo, olhar as copas das árvores enquanto eles dormem. Nessas horas surgem alguns de meus poemas. Pinto aqueles livrinhos de colorir, que o Zeca Camargo condenou sem nem saber o que eles são. Entre um aluno e outro, leio algumas páginas de meus e-books, escrevo, edito fotos. para mim, o ócio é parte da vida, e convivemos juntos há tanto tempo que nem penso em passar sem ele.
    Tenha um lindo dia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei seu comentário com uma pequena discordância, valendo, eu acho, o valor das opiniões diferentes e a compreensão diferente de uma mesma coisa

      O que o Zeca Camargo falou sobre os livros de colorir, na minha compreensão está dentro de uma contextualização e não foi uma condenação, foi um comparativo com o voraz e induzido preenchimento de vazios

      Uma crítica também ao popularismo dos livros como moda, como cura que não promove para determinados casos

      O lúdico do colorir, independente de faixa etária sempre foi possível e existente é um fato e imagino prática sua, minha sempre foi e confesso intimidada no momento pela exibição, competição, rótulos, polêmicas

      O usar a adesão que se tem para o bom ou não hoje é muito explorado, entra o político, um monte de interesses particulares ou de grupos e sempre o lado capitalistas das coisas que deveriam ser poéticas, sentimentais, tipo não vale imprimir uma figura do PC ou colorir o desenho do filho, tem que se ter um livro, o pop de preferência

      Estão valendo como estatística de brasileiros nas livrarias, como leitura, como mania os livros lindos e fonte de momentos de ócio para uns, relaxamento para outros, indiferente ou estressantes para alguns porque não

      Enfim, acho que o Zeca sabe o que são e não condenou, fez uma crítica comparativa, acho tá

      Beijos e desejo de um lindo dia, colorido e cheio de vazios a serem preenchidos de forma infinita e particular para nós

      Excluir
  2. É isso aí Tina! Eu que o diga, o ócio está presente na vida da minha filha que fez 12 anos...impressionante! Costumamos brincar que ela parece o Pateta, sabe? Com aquele balãozinho vazio do Pateta em cima da cabeça fazendo "cri, cri, cri" e nada dentro, hehehehe...minha filha não vez ou outra mergulha num balãozinho vazio e vai longe, que temos que chama-la várias vezes para ela voltar! Acho muito bacana e engraçado, pois eu era assim e na idade dela eu costumava ficar horas fazendo historinhas tipo gibi, com figurinha e tudo, nem sei onde foram parar. E minha filha gosta de criar roteiros de filmes, histórias de livros, enfim, acredito que o ócio aguça a imaginação com certeza! Preciso voltar a ter esses momentos, acho que os perdi com o tempo, ou talvez não, as vezes mudaram de forma apenas.
    Beijos Tina...falei demais! Lindo dia na Bahia!
    CamomilaRosa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro ociosos momentos e tb falar demais e ouvir histórias, opiniões, ler, palavras suas então, sempre bom
      Lindo dia por ai tb, cercadinho de ócio

      Excluir
  3. Muito bom,Tina! Todos nós precisamos dessas pausas e acho que simplesmente chegar à janela e contemplar o céu, o longe já nos permite um bom descansinho mental,. Isso, claro se em casa estamos... Se no mar, parar ,sentar nas pedras, na areia olhar, ouvir o barulhinho...Quer pausa e relax melhor?

    Assim cada um deve achar o seu momento e estimular os demais! Faz bem e muiiiiiiiito! bjs, lindo dia! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como se dizi por suas bandas é tri legal
      Com suas palavras é mesmo tuuuuudo de bom
      Lindo dia de contemplações por ai

      Excluir
  4. Gostoso é observar, e ver as descobertas.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  5. Oi Tina!
    Caraca... Tu disse tudo.
    Geralmente sou super criticada pelos meus momentos de ócio que são os momentos mais inspiradores do dia que me levam à uma madrugada produtiva, tanto em termos literários quanto estudantis. O cérebro precisa de um tempo para processar as coisas e não é a toa que pessoas vivem tão estressadas, porque acham "errado" dar uma parada para respirar.
    O legal que muitas empresas já estão caindo em si e dando um tempo para os seus funcionários relaxarem, vi isso em uma matéria.
    Beijos e boa semana para ti.

    Rivotril com Coca-Cola

    ResponderExcluir
  6. Tina,
    Adorei sua reflexão sobre este tema, pois é isso mesmo, ele pode ser assim ou assado, não importa, o que importa é o momento em que é feito, se tem prazer acima de tudo.
    um beijo carioca

    ResponderExcluir
  7. Oi amiga, vim lhe desejar uma ótima semana, beijos!!

    ResponderExcluir