17 de setembro de 2015

Pronto falei!

Ai eu, como de costume, a olhar os livros pelas prateleiras de literatura, filosofia, poesia, por nome de autores que amo, buscas dos listados por motivações e meios diversos e a me inteirar dos lançamentos que ouço falar e dos que não, gostei do nome, da capa e da proposta de interação de um livro de autoras pops entre os adolescentes (pops tipo pop star, de gritaria e tumultos que não combinam com livrarias). Enfim não dá pra mim! Direto e simples assim!
E ai, o fim do meu encanto se deu após ter colocado o livro no seu local de destaque, pensando boa oportunidade para ler um pouco de cada uma, embora algo de uma eu já tenha lido e um livro comprado pra minha sobrinha não muito apaixonada por palavras.
Nada tipo na sequência, foi dias depois, a quebra do encantamento, quando vi uma entrevista sobre o livro e de cara compreendi não foi houve interação e sim intenção de vendas, tiragem, exploração da tietagem. Digo não houve interação, não sob minha ótica, cada uma escreveu sua parte sozinha, independentes, zero de trocas e de correlação e intenções com relação aos textos. Uma delas, disse sem ressalvas, que os textos não se comunicam e com gírias, caras e bocas falou: “Claro, que eu falei do verão!” (claro pra quem, porque claro, sendo no programa que foi a tal entrevista, o público mais claro era que não soubesse bem quem cada uma delas era e a apresentadora fez a tiete e pela sua bagagem devia  ser a tietada e cada um das escritoras de estar ali se sentirem honradas), não foi assim.
E ai, cada uma falou de uma estação em seus textos, pois assim deve ter idealizado e proposto a Editora por encomenda. É o mercado dos livros além do conteúdo, da poética, da biografia e estudo acadêmico dos autores, com o detalhe pra dizer o mínimo de que humildade e hierarquia não fazem parte do perfil fama dos novos autores, bem resolvidos, com público certo e redes sociais como solo sagrado.  O livro é “vendido” como escrito pelas quatro, como que se reuniram, mas a real é que é como tantos é fruto de um projeto ambicioso de uma editora com vitrine e traquejo comercial e resolvi trazer a baila essa reflexão, nada pessoal, apenas uma luz sob o que há por trás de grandes lançamentos.
Eu cá com minhas reticências a modinhas, histerias e livro qualquer valer, acho que muito do abordado, como é abordado, sem os devidos graus de responsabilidade em formar opiniões e conduzir comportamentos vem alimentando uma geração fútil, arrogante, problemática, caricata, pouca literatura, muitas manias, unanimidades, modinhas, petulância e afins. Só acho! E antes que eu me esqueça no mesmo programa descobri no final e sem muita tietagem e palco que Vanessa da Matta lançou um livro em 2013, nunca ouvi falar dele, me interessou e acho o encanto não vai se quebrar, A filha das flores é o nome, clica aqui para dar um olhada.

11 comentários:

  1. Hoje fora de casa com internet pouca deixo só um bj💋😄

    ResponderExcluir
  2. Como é triste quandoa gente ama um autor, se apixona por seu escrito e muitas vezes não percebe interação, ver apenas que d efato o que manda são vendas e o sucesso. Por que a gente incentiva as crianças a amarem os livros a conhecer mais do autor e por vezes elas querm um encontro mesmo que seja um recado virtual e raramente obtivemos respostas. Dói! Pq um autor é como se fosse um amaigo a escrever e ler a gente não é? Amei o livro a filha das flores, só o nome tbm já me chama atenção, vou lá ver. E por falar em flores tem dica e poesia e livros no lbog, monte de coisinhas. bjs

    ResponderExcluir
  3. Ou seja, o que foi falado de que quatro escritoras famosas escreveriam um livro juntas, é uma mentira.
    Um jogo ambicioso da editora. Sem interação entre elas, entre as histórias.
    Enorme alcance juvenil, e essas mesmas meninas enganadas, acreditando ser uma coisa que não é; sendo manipuladas sem perceber.
    Ganância da editora e responsabilidade zero das autoras com seu público.
    Vou olhar a sugestão. Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Pronto, falou bem e disse tudo sobre esta péssima maquiagem e por fim você terminou por passar uma bela dica creio pela sinopse lida atentamente. Não sabia desta habilidade da Vanessa.
    Valeu Tina e um bom e belo fim de semana a vocês.
    Meu terno abraço.

    ResponderExcluir
  5. Por aqui ninguém tá lendo nada!
    beijogrande

    ResponderExcluir
  6. Realmente é de deixar indignado. No mesmo nível, pra mim, está um livro lançado há um tempo cujo o objetivo é ser destruído. Como sou mãe de adolescente, me deparei com ele por aqui. Um presente pois acho um absurdo comprar um livro para ser pisado, rasgado, rabiscado, manchado... E eu tentando ensinar que livro deve ser cuidado para que outras pessoas possam ler. Às vezes acho que vou mesmo na contramão do mundo...
    Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Tina, você ganhou mais uma seguidora!
    Parabéns pelo blog.
    Beijos de paz, Luana Rego.

    ResponderExcluir
  8. Chiii isto que aconteceu contigo, também já me aconteceu!
    Por isso agora, garimpo, leio comentários de quem leu anteriormente e leio também sobre o escritor/a.
    Uma que posso lhe assegurar com precisão, porque simplesmente a acompanho nas belas crônicas sociais e filosóficas que faz, é uma pouco conhecida figura que está na ABL e tem sido uma bela representante da literatura, das boas, em nosso país.
    Procure por Rosiska Darcy de Oliveira. Estou louca pra ler seu livro: Chão de Terra.
    um grande abraço carioca


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou procurar. Obrigada pela sugestão!
      Beijos baianos!

      Excluir