15 de setembro de 2015

Sobres valores, custos e benefícios

Gosto de comprar coisas diversas, de usar, consumir, presentear. Dinheiro é necessário para pagar as contas de moradia, transporte, educação e consumos de primeira necessidade, nos proporciona viagens, laser. Eu cá com meus trocados e sobras, sou do tipo que gosta de luxinhos e pobrezinhas e sempre fui de me adaptar com facilidade e criatividade ao valor na conta, bolso e bolso e de uns tempos para cá passei a observar os vários tipos de comportamentos e relação com o dinheiro das pessoas a minha volta, nos noticiários e discussões sobre o tema e tenho refletido que em paralelo ao dinheiro há uma outra moeda, não monetária, que usamos todos os dias, cada um a seu modo, uns investem alto para ter sobrando, outros tem de sobra e não dão valor. Algo que estamos o tempo todo negociando: o tempo.
Creio que a velha máxima de que dinheiro não traz felicidade, com um -mais- fica melhor. Mais dinheiro não significa mais felicidade. Tem um preço escolher um taxi ao invés do ônibus, pagamos mais caro para chegar mais rápido, trocamos o tempo livre do dia por um trabalho extra para ganhar mais dinheiro, ganhamos dinheiro, mas perdemos tempo, um tempo talvez que usaríamos melhor que o dinheiro extra ganho. Entende? Para e pensa! Existe muita coisa envolvida nessas duas moedas, nas suas implicações e reação entre elas e a felicidade, o que vale é sempre ponderar a troca do tempo por dinheiro e vice versa, seja nosso ou dos outros.

9 comentários:

  1. O dinheiro é bom qdo não se torna uma prisão do qual nós tornamos escravos.
    É uma maravilha pegar um táxi, viajar, fazer compras, passear. Mas se para isso eu tenho que gastar o meu tempo todo trabalhando, deixar a família, amigos e amigos de lado, ai precisa se repensar.
    Tantos casamentos desfeitos pq o homem só pensa em trabalhar, não tem tempo para nada. Outro dia vi um caso na TV que até no aniversário do filho o fulano cheio tarde,qdo não tinha mais nada, a justificativa estava trabalhando, precisamos de dinheiro para pagar as contas.
    Dinheiro não compra felicidade, não compra amor (só amor interesseiro rs..), não compra saúde (ajuda só no tratamento), dinheiro não dá paz e por ai vai.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  2. No mês de agosto eu estava com o braço engessado e os dias não passavam e eu posso garantir que agosto durou 3 meses. Mas o setembro!!!! como passa rápido e eu não tenho tempo para nada.

    ResponderExcluir
  3. Ter ou não dinheiro e ter ou não tempo... Grande diferença em cada das situações! Importa é não super valorizar um ou outro.Ambos são parte da vida, necessários! bjs, chica

    ResponderExcluir
  4. Olá, Tina. Gostei muito!
    Não há nada de errado com o dinheiro quando ele é usado da menira certa. Pode trazer felicidade sim, através das facilidades que proporciona.

    ResponderExcluir
  5. Quanto ao tempo... ah, o tempo! Quem pode controlá-lo, ou compreendê-lo?

    ResponderExcluir
  6. Duas moedas que exigem sabedoria e ponderação para usá-las. Sempre o bom e velho equilíbrio, a flexibilidade.
    Sentir alegria em circular entre as compras luxinhos e pobrezinhas! Adorei isso!

    ResponderExcluir
  7. Um recado muito bem dado. Muitos correm, atrás do dinheiro hoje para usufruir dele no amanhã, outros gastam desordenadamente porque não acreditam no amanhã. Acho que não podemos ´´é gerar ansiedade em cima desses dois, se soubermos agir com equilíbrio e o máximo de lucides encontraremos tempo e dinheiro dentro das nossas possibilidades
    para curtir a vida e nossos "luxinhos e pobrezinhas." Tina ando um pouco ausente pois estou com visitas em casa. Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Perfeita e linda reflexão sobre este senhor Tina.
    Esta observação sobre o outro, este olhar além da capa nos dá uma bela visão de como as pessoas se perdem neste ser e ter e o melhor da vida muitas vezes fica à deriva mesmo. Ter é bom sempre desde que nunca supere o nosso lado quente do ser.
    Aplausos nesta belíssima reflexão.

    ResponderExcluir