30 de outubro de 2015

Para brisar o que é certo

Ai, vi lá no Instagram, no para-brisas de um carro um bilhete, pedi até a foto a amiga da contação, tava no celular que quebrou ai resolvi trazer mesmo sem ela a história para cá. O bilhete da tal foto foi deixado por uma blogueira vizinha, fotógrafa e cidadã, no carro de uma dupla de novinhos que estacionaram o carro numa vaga para idosos (em um shopping se não me engano) sob o olhar atento e indignado de Paty, mas distante, ela até pensou em correr desbandeirada, mas teve a ideia do recadinho.
Cheguei a comentar na publicação dela, que na mesma semana, adolescentes na orla aqui de Salvador, passeando em grupo, pararam para papos e risos soltos e um deles largou no chão um pacote de biscoitos, assim, no meio do calçadão, a beira mar, sem nem disfarçar, sem nenhum que chamasse a atenção. Meu marido fez menção de falar com eles mas contabilizou a possível gritaria ou até mesmo algum tipo de agressão verbal e até física (um extremo que devemos considerar), foi o que eu disse a Paty, que tentou falar com a dupla mas não alcançou eles a tempo e optou pelo bilhete, que acho fez seu papel e quisá o papel fique ali pelo carro e seja visto vez ou outra dando seu recado e fazendo a atitude mudar, como abaixar e pegar o papel jogado pelo grupo era uma forma de dar o recado, de maneira sutil e elegante
Lembro que meu filho nas festinhas infantis ficava querendo catar e também que eu catasse, os papéis de docinhos e afins jogados no chão. Uma vez na fila do acarajé um adulto (para ele portanto  um portador de modos), largou o papel da iguaria no chão e o rebento não contou dois tempos, disse em alto e bom som, não se joga lixo no chão. Pois é! Não mesmo!
Por uma sexta de cestas cheias de bons modos, bilhetinhos para os maus, cestos de lixo com lixo dentro, tudo devidamente no seu lugar, todos devidamente domesticados, educados. Dado o recado, outro assunto é que sem ser amanhã, no outro sábado, dia 7, tem por aqui e por ai, postagem coletiva com o tema simplicidade. Última postagem coletiva (do ano ou da interação, ainda pensando) da série proposta por mim e pela Ana, para o primeiro sábado de cada mês. Em dezembro e janeiro, provavelmente nós duas entraremos de férias dos nosso blogs, para descansar, arejar, cuidar da casa, da vida, para simplificar em busca de mais com menos. Bom fim de mês prôcês! Inté novembro!

3 comentários:

  1. Tina, infelizmente vemos tantas coisas assim...Papéis, garrafas jogadas e uma coisa que me irritou recentemente foi ver os desabrigados aqui no Sul, dentro de um estádio acomodados, ganhando 5 refeições, doações,etc, jogando papéis no chão e esses seriam juntados por quem? pelos voluntários. Pode? Há de tudo !! Pena! bjs, chica e um feriadão bem legal! A simplicidade j´pa está prontinha,rs...

    ResponderExcluir
  2. A falta de educação tem crescido cada dia mais. E se você fala ou reclama causa a maior confusão.
    Pessoas reclamam que quando chove alaga, mas jogam os lixos na rua, não tem higiene e depois pagam o preço.
    As pessoas por vezes pisam nos seus pés e nem pedem desculpas , a falta de educação tem se propagado de forma absurda entre as pessoas em especial os jovens.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  3. Mais educação, amor, prazeres nas coisas simples e do bem. Já vi no da Ana e vou compartilhar no meu dia 7 a participação. Tem prazeres no poesia

    ResponderExcluir