7 de novembro de 2015

Do ser ou não ser simples

Complicado! Essa é uma palavra e exclamação que costumo usar para o muito de complicado que vejo e ouço e que resolvi usar para iniciat esse post sobre simplicidade, tema da blogagem coletiva do primeiro sábado de cada mês. Em dezembro, a propósito, pausa na blogagem coletiva, em 2016, talvez.
Sobre ela, a simples simplicidade, tenho ouvido e lido discursos (tipo rasos e tipo profundos), visto nome de livros, práticas que de simples não tem nada, pessoas, instituições, grupos, que pregam, descrevem, cantam, receitam a simplicidade produzida e entendida cada um a seu modo, conveniência e com uma listinha de intolerâncias. O simples na prateleira, colhido sem licença e com total descaracterização das pequenezas genuínas de Manoel de Barros, vestidas com a roupagem do tá na moda.
E com base na frase de Chorão "Quem é de verdade sabe quem é de mentira", eternizada em sua canção, é no todo que vemos os pedaços, uma fala ali, um gesto acolá, um outro escrito do mesmo autor, uma outra legenda da mesma pessoa,  um comentárioem, o silêncio, um suspiro amargo, entrelinhas onde a simplicidade que não é in natura, dá bolor.
O simples não se vende, divulga, ensina, é perecível penso eu, coisa que se é ou não é, sendo possível aprender e praticar sim, buscar, mas que não anda de mãos dadas com o posar, usar como cartaz. De críticas a Bela Gil, pelos seus churrascos de frutas e batata doce na lancheira da Escola da filha, passando pela sem pareja sugestão de quem se incomoda com passarinhos de que se abra a janela e deixe disso de se queixar por  bobagens, e como em tantos exemplos, onde a simplicidade é posta a prova, se choca com incoerências, inconsistências, simples assim de notar e sentir.
Textos e fotos publicados com legendas de puro amor e reconhecimento para os pais no dia dos pais, com os irmãos no dia dos irmãos, namorados, amigos e no dia dia a ligação fica lá perdida e não se retorna, para pegar um copo d´água para o outro muitas reticências. Exclamações aos montes, de amo, adoro, relatos de faço e aconteço, tudo dito e muito pouco praticado.
“Que ninguém se engane, só se consegue a simplicidade através de muito trabalho”, disse a complicada e amada Clarice Lispector. E querer muitas coisas simples, não será ser exigente e portanto complicado? E o que é simples para você é simples para mim?
“A felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora, por não perceber a sua simplicidade”, disse Quintana e é também pessoal penso eu, não há receita de bolo. Para mim por exemplo, é simples manusear um Smartphone, para tantos Seu João não. Para muitos Seu João  é simples plantar e colher feijão, para mim não.
Simples é uma palavra cheia de usos e significados, além da definição do dicionário, como poesia e filosofia, as palavras e práticas. Algo que ninguém ache digno de nota, de observância, pode representar, inspirar, desencadear ideias, sentidos simples, poéticos e filosóficos. Ser simples, creio eu, não significa evitar o complexo, o incomum, negar a profundidade, contentar-se com o trivial, comprar e vender a simplicidade como produto bem aceito no mercado.
Leonardo da Vinci disse que "a simplicidade é o último grau da sofisticação", e o primeiro da humildade eu diria e não objeto do anseio coletivo diante de um mundo cada vez mais complicado, em que o simples é atrativo e falso. A simplicidade é uma arte, sutil e difícil, por mais louco que isso possa parecer. Simples e complicado assim!

8 comentários:

  1. Tens razão, todinha!

    O simples pode ser complicado !

    Isso quando pensamos ter que demonstrar aos outros, provar nossa simplicidade. Isso não se faz, não se consegue!

    Ela está ou não em nós e se sim, é vista sem alardes, se não, está resolvido!


    Adorei te ler com essa simplicidade complicada,rs... bjs, lindo fds! chica


    Trago o link da minha participação:
    http://chicaescreveporai.blogspot.com.br/2015/11/rosa-peteca-e-simplicidade-da-vida.html

    ResponderExcluir
  2. Olá, querida Tina

    Link:
    http://www.escritosdalma.com.br/2015/11/singeleza-sagrada.html

    Bebi seu post como saboreei o café da manhã (puro) ainda há pouco... com gosto mesmo...
    Clarice é espiritual na essência, me identifico demais com ela...
    Ler sobre simplicidade é fácil, vc disse muito bem...
    Entretanto, o nosso coração é simples sim, a gente contempla o que toca a nossa essência... mas tem um passo grande à prática... aí entra a espiritualidade pra socorrer-nos... (não falo de religião e sei que sabe disso)...

    Valeu mesmo as interações aos primeiros Sábados e espero que continuem, precisamos interagir sem competições e vcs fazem isso muito bem (vc e Ana)...
    Gosto de me aliar a quem é simples apesar de saber bastante... aliás, saber muito significa ser bem simples pois sabemos bem que nada sabemos... pra mim, vai por aí afora...
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir
  3. Na farta cesta das definições aqui colhidas, Tina, separo a tua como par da que penso; na simplicidade reside a complexidade do ser simples.Dizer, ler e coisas tais não trazem a vivência real do tema, ajudam a expandir e provocar reflexões, o que é benéfico, mas apurar na essência a simplicidade requer balaios cheios de tudo isso e mais um pouco.

    Tô contente em ter conseguido participar desta roda festiva.
    Bjkas dependuradas :)
    Calu

    ResponderExcluir
  4. Chegamos ao nosso último varal coletivo desse ano pendurando simplicidade! Uma alegria para mim essa parceria: uma segura, a outra oferece o pregador, numa ponta, na outra. Venta, chove, faz sol: penduramos, recolhemos e assim estreitamos laços, cumplicidades com todos os que penduraram conosco, com aqueles que passaram e apreciaram!

    Seu texto, uma boa reflexão sobre a simplicidade que buscamos tanto em dias atuais cheios de complicação. Mas nessa busca, podemos nos intitular simples e falar horrores sobre a lancheira da filha da Bela Gil...
    Complicado mesmo e com direito a exclamações!
    Vou arejar,
    Respirar e inspirar
    Esperar
    Ser paciente
    E quem sabe voltar com nosso varal
    Tudo e tantas possibilidades
    ou mudanças
    Por ora
    Gratidão por tudo
    Simples assim!

    ResponderExcluir
  5. O simples pode ser mesmo complicado quando não enxergamos o obvioe as coisas pequeninas da vida. Tem minha participação tbm no Poesia, linda tua reflexão

    ResponderExcluir
  6. Sim, Tina, tens toda a razão: "A simplicidade é uma arte sutil e difícil."
    Depois de tantos poetas, pensadores e escritores descreverem e suspirarem pela simplicidade, chego a pensar que só é simples, quem não corre atrás dela, mas quem vive sem se vestir dela!
    Abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  7. Estou torcendo por aqui para que vocês se animem e continuem com as BC ano que vem porque ela permite essa interação gostosa, o conhecer e ver o outro sobre um mesmo tema.
    Gostei muito do seu texto, ele toca na ferida e nos faz refletir.
    Infelizmente o simples hoje está em falta e quem não mostrar o contrario está fora/ quase excluído e ai é colocado na fogueira, ridicularizado, taxado de não sei quantos nomes.
    Eu quero e tento continuar na minha simplicidade mesmo sabendo que as vezes nem é tão simples assim. Tenho consciência disso e tento melhorar; principalmente no quesito expor. Sempre me pergunto antes: precisa? vai fazer alguma diferença na vida de alguém?
    Abraços e ótimo final de semana
    Graziela

    ResponderExcluir
  8. Essa frase da Clarice é a que melhor defini a simplicidade na minha opinião. Acho que as coisas simples, são tão sutis que a maioria de nós seres humanos passa a vida inteira sem senti-la, sem ter consciência. Muita receita né Tina, quando na verdade não existe receita.
    Um beijo no seu coração

    ResponderExcluir