24 de março de 2016

Ai
Muitas anotações
Letras que só quem escreve entende
Essa nem sei de quem é
Listas
Rabiscos
Moldes
Cortes a mão livre
Rascunhos
Print de imagens
Zaps
Colagens
E risos depois
Muitas fantasias prontas
Dias de gincanista
Participando sem participar
Porque adoro
Eu mãe
Tia por atacado
Aluna
Pró
Vou aproveitar para poetizar
E fazer um paralelo
Com meu gostar de estar entre a geração raios e trovões
Khalil Gibran, escritor, poeta, filósofo, pintor
Nascido no Líbano, cercado por cedros milenares
Li por ai, que quando tinha apenas oito anos, um temporal caiu sobre sua cidade
Olhando fascinado para a natureza em fúria, ele abriu a porta e saiu correndo com os ventos
Quando a mãe o alcançou, apavorada, ele disse: 
Mas mamãe, eu gosto das tempestades
#gincanaslistaseleseeu

16 de março de 2016

Eles e eu

Ai
Dos primeiros passos de minha mãe
Dos meus
Aos primeiros de Paulinho
Eles
Hoje dia do nascimento dele
Pertinho do dela
Pertinho de mim os dois
Para sempre
Pisquei para as estrelas do céu
Minha homenagem aqui
Meu bem querer por todo canto
Com saudade e encanto
#salvemeuluis

14 de março de 2016

Das artes

Maquetes
Adoro
Fiz muitas na época da Escola
Ai a sobrinha diz 
Que tem que fazer uma do Farol da Barra
Me ofereci na hora
Fiz lista de material
Produzi o Farol em casa
Sábado, ela, eu, dois da equipe de cinco
E muitos que brincavam no parque
Todos querendo ajudar
Todos cheios de perguntas
Respostas
Sugestões
Assuntos
Elogios, encantamento
Preciso dizer que amei?

8 de março de 2016

As mulheres daqui

Eu com elas
Eu sem elas
Voinha
Mainha
Irmãs
Eu no centro
Para apresentar
Homenagear
Elas 
E toda mulher
Que por aqui passar
Salve!

1 de março de 2016

Para a Academia

Não! Não vou contar que estou indo malhar, nem sobre idas alheias as badaladas ou prosaicas Academias de ginástica. A Academia em questão, para a qual resolvi de mentirinha redigir uma carta é a das estatuetas douradas.
Entendo que o Di Caprio não levou muitas outras estatuetas porque haviam fortes concorrentes nas ocasiões em alguns casos, talvez preconceito em outros,  por ser bonito demais, galã,  entender que isso pode ser um problema me leva para o livro que está na lista de paradidáticos da escola de meu filho esse ano e que peguei emprestado para ler: Pinóquio no país dos paradoxos, estou na metade.
Não ganhou outras vezes penso, sem ser entendida do assunto, porque faz filmes polêmicos, engajados, porque nunca fez nenhum herói de HQ, nem séries, sequênciais de franquias.
Eu que acompanho a premiação, após essa correção do rapaz ganhar o reconhecimento, lamento, questiono ce queria ter poder de lançar campanha para o Jonny Deep ser o próximo, Tom Hanks ter um só ser inaceitável e por ai lá vai, mas tenho mercado pra fazer, roups pra lavar, marido e filho pra cuidar, unha, cabelo, livros para ler...
Prêmios, reconhecimento, sem rótulos, quando será? Sem panelinhas, politicagem, bandeiras. Pedir demais né! Uma polêmica para a cota de cor nos indicados, esse foi o tema da festa e ai lá e na net cara feia e tititi pelo figurino da figurinista premiada, que vale pontuar não era decotado exagerado, nem de carne, era no estilo da pessoa, com referências do filme, homenagens, até brilho tinha.
Incoerências a parte, evento do país dos outros a parte, cultural e tal, eu fã de Léo vi o danado chegar a muito custo vivo ao fim do filme e ao fim do óscar com o dele na mão, há quem falou bem da fala dele, quem falou mal e da roupa e de todo resto, que bom, viva as diferenças, que parece ser paradoxalmente a bandeira e o emperrar do mundo atual.